NAFTA PETROQUÍMICA

A Nafta Petroquímica é um dos derivados de petróleo, apresenta massa específica variando de 0,65g/cm3 à 0,735g/cm3, à temperatura de 20ºC. É a principal matéria-prima da indústria petroquímica (eteno e propeno), além de outras frações liquidas como benzeno, tolueno e xileno. Trata-se de um líquido incolor, possui odor similar a gasolina e seu potencial de destilação é também muito próximo ao da gasolina. Atualmente no Brasil, somente a Petrobrás produz a nafta petroquímica e supre, aproximadamente, 70% da necessidade total do mercado nacional, sendo necessária a importação de nafta para suprir a demanda. A Nafta Petroquímica constitui uma mistura de hidrocarbonetos parafínicos, olefínicos, nafténicos e aromáticos. Estes hidrocarbonetos são constituídos principalmente de 4 à 10 átomos de Carbono.

FAIXA DE DESTILAÇÃO:

30,50ºC (ponto inicial)
58,90ºC (10% evaporado)
100,4ºC (50% evaporado)
145,0ºC (90% evaporado)
158,2ºC (ponto final).

CLASSIFICAÇÃO:

A Nafta pode ser classificada quanto suas características em dois grandes grupos: A parafina (LAN), que é indicada para a produção de olefinas, com teor máximo de parafina de 78% e densidade média 0,6802g/cm3. E Nafténica (HAN), adequada para a obtenção de hidrocarbonetos aromáticos, com teor máximo de 65% de parafinas e densidade média de 0,735g/cm3. Quanto às características químicas Nafta pode ser: Parafínica (P), Olefínica (O), Nafténica (N) e Aromática (A).
No Brasil, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) regulamenta os padrões que devem ser determinados e qual método deve ser utilizado. Segundo a ANP, a Nafta Grau Petroquímico deve ser caracterizada quanto sua densidade a 15ºC (ASTM D 4052), total de enxofre (ASTM D 4294), total de parafinas, olefinas, aromáticos e nafténicos (ASTM D 5134), curva de destilação (ASTM D 86), pressão de vapor (ASTM D 323), cloro (ASTM D 4919A), teor de arsênio e chumbo. As centrais petroquímicas decompõem o Nafta, produzindo para a segunda geração das indústrias do setor, os petroquímicos básicos, como o eteno, propeno, benzeno e tolueno. E também decompõem petroquímicos intermediários, como o ciclo hexano e o sulfato de amôneo.

Leia mais…

Hot when You Want

Está chegando ao Brasil o café "hot when you want" (em português, "quente quando você quiser"), da Nescafé, desenvolvido na Universidade de Southampton, Inglaterra. Basta apertar um botão no fundo da lata, esperar três minutos e pronto! Café quentinho (a 60º C) por 20 minutos! Mas como isso é possível? Só pode ser alguma tecnologia de última geração... Será? Vamos conferir.





O café é aquecido pelo calor liberado numa reação que acontece ao apertarmos o botão no fundo da lata. É que toda substância tem uma certa energia armazenada em seu interior, por exemplo, na forma de ligações químicas entre seus átomos. Quando, numa transformação química, a energia contida nos reagentes for maior que a dos produtos, haverá uma sobra energética que será liberada na forma de calor. É o que chamamos de processo exotérmico.



Quando se dissolve cloreto de cálcio em água, por exemplo, acontece um fenômeno desse tipo. Algumas bolsas de água quente aproveitam o calor liberado nessa dissolução. Elas contêm a água e o sal separadamente. Na hora do uso, uma batida quebra o recipiente da água, que dissolve o sal, liberando calor. Apenas 40 g do sal são suficientes para elevar a temperatura de 100 ml de água de 20º C para 90º C!

O fogo grego _arma secreta dos gregos bizantinos que impediu os muçulmanos de tomarem Constantinopla na época das invasões árabes (século 7º)_ também utilizava uma reação exotérmica. Ele era uma mistura líquida e viscosa que se inflamava em contato com a água. Ainda hoje não se sabe a exata composição dessa arma, mas uma hipótese provável é que ela contivesse cal viva (óxido de cálcio, CaO) e petróleo, entre outras substâncias.

A reação da cal viva com a água é extremamente exotérmica. Assim, o calor liberado poderia ter inflamado o petróleo, que, sendo menos denso que a água, se teria espalhado na superfície do mar, queimando os navios inimigos.

                        CaO   +   H2O  --------->   Ca(OH)2  Reação Exotérmica


Mas, afinal, qual será a tecnologia de ponta do "hot when you want"? Apenas um compartimento no fundo da lata que contém, separadamente, a cal viva (a mesma do fogo grego!) e a água. Ao apertar o botão no fundo da lata, a placa que separa essas duas substâncias se rompe e a reação começa. O calor desprendido na reação é então aproveitado para aquecer o café na parte superior da lata. Simples, mas genial!


Leia Fogo Grego

Leia mais…

Fogo Grego

Antigamente, aquecia-se o óleo para se derramar em cima dos soldados que tentavam escalar as muralhas das cidades ou castelos. Azeite quente neles. O fogo grego era diferente.



Fogo Grego era um líquido de composição complexa a base de petróleo, magnésio e outros componentes. Inflamável, não misturava-se com a água e gerava uma chama difícil de apagar. Os bizantinos, do império, combatiam lançando o líquido inflamado sobre os navios inimigos, usando pressão. Alguma coisa semelhante ao nosso atual lança-chamas. Os turcos tiveram muita dificuldade em tomar Constantinopla em face do uso do fogo grego, mas na sétima tentativa a cidade caiu. Os turcos venceram em Constantinopla porque eram mais evoluídos tecnologicamente: usaram uma arma mais poderosa do que o fogo grego: a pólvora. Creio que era um diferencial enorme, poder jogar grandes bolas de ferro sem chegar perto do alcance das flechas inimigas.

Leia mais…

A Cinética das Transformações

As transformações químicas ocorrem ao nosso redor e no nosso próprio corpo o tempo todo. Narespiração, na  prática de exercícios físicos, na digestão de um alimento e em muitas atividades conscientes e inconscientes. Todas essas reações se processam com determinada velocidade. A rapidez com que uma reação acontece geralmente é muito importante.
o airag é inflado pelo gás nitrogênio
6 NaN3(l)  +  Fe2O3(s)  ------> 3 Na2O(s)  + 2 Fe(s)  +  9 N2(g)



Essa reação ocorre quando um airbag é acionado. Existem duas peculiaridades que a tornam indicada para esse fim. A primeira é o tempo com que ela se processa. O fato de ela ser praticamente instantânea faz com que, no momento da batida, um dispositivo produza uma faísca necessária para a sua ocorrência. A segunda é a grande quantidade do gás nitrogênio formado, que faz com que o recipiente que contém as substâncias aumente o volume rapidamente, criando um anteparo macio para o motorista e/ou para os passageiros.
Aasim como esse, podemos encontrar uma infinidade de exemplos de reações químicas com velocidades diferentes presentes no nosso cotidiano e, por isso, é fundamental o estudo da maneira como uma reação química ocorre e da velocidade em que ela se processa.
Para efetuarmos esse estudo, é fundamental sabermos se a ocorrência de uma reação é viável, pois nem sempre a mistura de duas ou mais substâncias é suficiente para que uma reação se realize. Se a reação é factível, também precisamos saber se ela será rápida ou lenta. Esse é um aspecto que pode gerar dúvidas, pois considerar uma reação lenta, moderada ou rápida depende do referencial.
A decomposição de alimentos é um exemplo de uma reação lenta
A decomposição de um alimento, que demora alguns dias, pode ser considerada lenta se comparada à reação que ocorre dentro do airbag. No entanto, se compararmos essa reação à da formação do petróleo, que leva milhões de anos, ela pode ser considerada uma reação rápida.
A formação do petróleo é um exemplo de uma reação extremamente lenta


Leia mais…

Hidróxido de Cálcio

O Hidróxido de cálcio, de fórmula Ca(OH)2, apresenta-se como um sólido branco, pouco solúvel em água e que se decompõe pelo aquecimento. A solução aquosa dessa base é chamada de água de cal.



Esse composto recebe também a denominação de cal apagada ou cal extinta e o seu preparo é feito através do óxido de calcio (chamado cal virgem) em reação com a água:

CaO + H2O   ------->  Ca(OH)2

Como se trata de uma base barata, ela encontra uma série de aplicações, entre as quais: preparo de hidróxidos de metais alcalinos e de amônio e da cal clorada (usada no branqueamento de tecidos), refino de açúcar e preparo de argamassa.

cal + cimento + água
A argamassa consiste fundamentalmente numamistura de cal apagada e areia, à qual se adiciona água, produzindo uma pasta. Essa pasta vai aos poucos endurecendo, deviso à evaporação da água e subsequente reação do hidróxido de cálcio com o gás carbônico do ar (CO2), que penetra pelos poros da pasta. Dessa reação forma-se o carbonato de cálcio:
Ca(OH)2  +  CO2 -------->   CaCO3  +  H2O
É também usada na aqricultura para a correção de solos ácidos e no tratamento de água e esgoto.
CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DO HIDRÓXIDO DE CÁLCIO
O hidróxido de cálcio apresenta-se como um pó branco, alcalino ( pH 12,8 ), pouco solúvel em água (solubilidade de 1,2 g/litro de água, à temperatura de 25º C). Trata-se de uma base forte obtida a partir da calcinação ( aquecimento) do carbonato de cálcio, até sua transformação em óxido de cálcio (cal viva). Com a hidratação do óxido de cálcio chega-se ao hidróxido de cálcio e a reação entre este e o gás carbônico leva à formação do carbonato de cálcio, podendo tais reações assim serem representadas:


CaCO3(s) ---> CaO + CO2(g)
CaO(s) + H2O ---> Ca(OH)2(s)
Ca(OH)2(s) + CO2(g) ---> CaCO3(s) + H2O
s = sólido, g = gás e l = líquido.


As propriedades do hidróxido de cálcio derivam de sua dissociação iônica em íons cálcio e íons hidroxila, sendo que a ação destes íons sobre os tecidos e as bactérias explicam as propriedades biológicas e antimicrobianas desta substância.

As alterações nas propriedades biológicas podem também ser esclarecidas pelas reações químicas demonstradas, uma vez que o hidróxido de cálcio na presença de dióxido de carbono transforma-se em carbonato de cálcio apresentando características químicas de um óxido ácido fraco. Este produto formado é desprovido das propriedades biológicas do hidróxido de cálcio, como a capacidade mineralizadora.
analisando quimicamente a liberação de íons hidroxila do hidróxido de cálcio, salientaram a obtenção das porcentegens de íons hidroxila:


Ca(OH)2 ---> Ca2+ + 2OH-
1nCa2+ = 40.08
1nOH- = 17.0 ---> 2nOH- = 34.0
1nCa(OH)2 = 74.08

Levando-se em conta o peso molecular do hidróxido de cálcio, 74.08, por meio de uma regra de três, obtem-se a porcentagem de íons hidroxila encontrados no hidróxido de cálcio, que corresponde a 45.89%, enquanto que 54.11% corresponde aos íons cálcio.


74.08 ? 100%
34.0 ? X
X= 45.89%
2n OH- = 45.89%
1n Ca2 = 54.11%

HIDRÓXIDO DE CÁLCIO


Nome IUPAC: Hidróxido de cálcio

Outros nomes Hidróxido de cálcio (II),

cal hidratada,

cal apagada,

leite de cal.

Identificadores

Número CAS 1305-62-0

Propriedades

Fórmula molecular Ca(OH)2

Massa molar 74.093 g/mol

Aparência Pó branco macio/Líquido incolor

Densidade 2.211 g/cm³, sólido

Ponto de fusão 512°C (decompõe-se).



Ponto de ebulição N/A



Solubilidade em água 0.185g/100 cm³

Ksp = 7.9 x 10−6

Basicidade (pKb) -2.37

Riscos associados

Classificação UE Corrosivo (C)


Ponto de fulgor Não inflamável.

Compostos relacionados

Outros aniões/ânions Nenhum listado.

Outros catiões/cátions Nenhum listado.

bases relacionados Óxido de cálcio.








Leia mais…